HackBrazil at MIT and Harvard: Já imaginou apresentar sua startup para o Jorge Paulo Lemann, Luciano Huck, Kaka e mais diversos executivos e empreendedores?

 

luciano

Pois é, isso é possível na HackBrazil at MIT and Harvard!

O canal techbrazil conversou com o Ivo, estudante do MIT e um dos co-presidentes da HackBrazil e da Brazil Conference.  Ele nos contou um pouco da história dele e dessa baita competição que os alunos de Harvard e MIT, junto com grandes empreendedores estão organizando.

O evento ano passado teve a presença de jurados de altíssimo nível como Gustavo Roxo (CIO do BTG Pactual), Camila Farani (CEO do Gávea Angels), Gabriel Benarrós (Founder da Ingresse), Ricardo Marino Vilela (VP Executivo do Itaú), Maria Alice Frontini (Presidente do MIT Alumni Club do Brasil)  e Alex Szapiro (CEO da Amazon Brasil).

Adicionalmente, o evento foi apresentado pelo Luciano Huck e teve na platéia diversas celebridades como Kaká e o empresário Jorge Paulo Lemann! Assista o breve vídeo do evento.

Vamos à entrevista:

1) Primeiro queria que você contasse sua trajetória e como entrou no MIT?

 

Sou natural de Brasília e fiz minha graduação em Engenharia Civil, na Universidade de Brasília. Logo em seguida, trabalhei no mercado de energias renováveis, mais especificamente em uma empresa de consultoria em engenharia, com projetos de hidrelétricas. Desde sempre fui bastante envolvido no mundo acadêmico, e a participação em um projeto de iniciação científica durante a graduação me motivou bastante para trabalhar com pesquisa. Mais importante ainda foi a influência de dois tios meus, que são Ph.D. também pelo MIT. Eles sempre me mostraram a importância de aprofundar minha formação e a escolha da universidade foi, obviamente, bastante influenciada por eles.

 

2) Você estudou no Brasil e no MIT, qual a diferença entre a universidade aqui e la?

 

Me sinto muito grato por ter tido a oportunidade de estudar em universidades de excelente qualidade. Em ambas, tive aulas com professores excelentes, mas algumas diferenças fazem do MIT um lugar especial. A principal diferença seria com relação à integração entre diferentes áreas do conhecimento. Aqui no MIT, os programas dos cursos são estruturados a dar grande flexibilidade aos estudantes e, além disso, a própria universidade motiva os alunos a fazer cursos em diversos departamentos. Outra grande diferença que observei é o nível de exigência das matérias. Aqui os cursos são fortemente baseados em listas de problemas a serem resolvidas em casa, o que demanda muito tempo e dedicação fora das salas de aula.

 

3) Como é o dia-a-dia de um estudante do MIT?

 

Eu descreveria meu dia-a-dia de acordo com duas fases distintas. Uma no começo do doutorado, quando estava focado em fazer os créditos requeridos. Durante esses primeiros anos, passava boa parte do dia dentro da sala de aula e trabalhando em listas de exercício. No tempo restante, estava dedicado a dar os primeiros passos no projeto de pesquisa, aprofundando o estudo em alguns tópicos específicos e iniciando o desenvolvimento da ferramenta numérica que uso hoje em dia. A segunda fase começou após passar pelo exame de qualificação, e foi diferente principalmente com relação à liberdade para o desenvolvimento das atividades de pesquisa. Apesar de ter objetivos bem definidos, o caminho para atingi-los não é algo muito rígido, o que constitui, na minha opinião, um dos principais desafios do doutorado. Por esse motivo, as minhas atividades diárias são muito variadas. Há dias em que passo o tempo todo dentro do laboratório e outros em que estou somente programando.

 

 

4) Você é o presidente da Brazil Conference e da HackBrazil. O que é a HackBrazil? E o Que é a Brazil Conference?

 

A HackBrazil é uma competição anual, iniciativa da Brazil Conference, que funciona como uma plataforma para o desenvolvimento de soluções para os problemas do nosso do Brasil. Projetos nas mais diversas áreas são selecionados para participar de um período de desenvolvimento, no qual as equipes colocam a mão na massa sob a orientação de mentores extremamente qualificados. As equipes que mais evoluírem durante essa fase, são selecionados para vir para a grande final, que acontece durante a Brazil Conference, aonde apresentam o projeto para um painel de jurados formado por renomados investidores e empreendedores.

A Brazil Conference, que acontece anualmente nos campi de MIT e Harvard, é uma conferência organizada por alunos das universidades mais renomadas do mundo, com o objetivo de discutir soluções para o Brasil. A presença de nomes de grande expressão tanto brasileiros como mundiais, fazem da conferência um ambiente único para ter debates muito enriquecedores.

 

5) Qualquer pessoal pode participar da HackBrazil?

 

Sim! A HackBrazil não tem limitações com relação aos participantes. Podem se inscrever pessoas de qualquer nível de escolaridade, nacionalidade ou idade.

 

6) O que vocês esperam das equipes?

 

Nós esperamos que as equipes tenham ideias inovadoras e transformadoras para a realidade brasileira. Além disso, é importante que a equipe, como um todo, seja capaz de concretizar o plano proposto para o período de desenvolvimento da HackBrazil.

 

7) O que motiva alunos brasileiros das duas melhores instituições do mundo a dedicar a esse projeto?

 

A maior motivação que temos é mudar o Brasil para melhor. A Brazil Conference é uma oportunidade única para colocar as discussões de temas relevantes para o país dentro de duas das melhores universidades do mundo. O evento é organizado por estudantes que acreditam na possibilidade real de mudança da nossa realidade através de debates envolvendo pessoas das mais diversas origens e pontos de vista. Acreditamos que podemos fazer a diferença e a conferência vem como a plataforma para fazer isso acontecer.

 

8) Os jurados são de altíssimo nível, você acredita que eles tem interesse em investir nos projetos dos participantes?

 

Claro! Não somente o corpo de jurados, mas também vários dos presentes na conferência, tem grande expressão na área de investimentos dentro do Brasil. Um dos maiores trunfos para os finalistas é ter a oportunidade de apresentar seus projetos para eles, o que pode levar a parcerias que os levarão ainda mais longe.

 

9) O Luciano Huck foi o apresentador da Hack – qual o motivo da escolha?

 

Nós escolhemos o Luciano Huck como apresentador da HackBrazil por todo o seu trabalho com iniciativas de alto impacto social e empoderamento. Além disso, ele é bastante ativo no mercado de investimentos brasileiro, sendo fundador da Joá Investimentos, fundo focado em startups trabalhando com tecnologia e estilo de vida. Ele também é o fundador do Instituto Criar, uma organização sem fins lucrativos que tem como objetivo contribuir para a formação de jovens por meio do audiovisual. Todas essas iniciativas estão bastante alinhadas com o propósito da HackBrazil e, por isso, o escolhemos para ser o apresentador do evento.

 

10) O que você vê para seu futuro quando sair do MIT?

 

Ainda não tenho um plano definido para quando acabar o doutorado no MIT. Um dos melhores aspectos de ter passado por essa experiência foi aprender a lidar com um espectro bastante amplo de problemas. As ferramentas que aprendi serão extremamente úteis, não importando em que área for trabalhar. Além disso, estar em um ambiente tão fértil para novas ideias também me inspira para trabalhar em algo inovador ao sair daqui.

Inscrições abertas: http://www.hackbrazil.com